"Não seremos felizes sozinhos, precisamos de uma doce companhia e quando encontramos... desejaremos estar ao lado dela. Não por um momento, mas por toda a eternidade." (Celso Oliveira).

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Encenação



Somos chamados por ser diferentes
Somos interpretados como atores reais.
Num palco sem cenário. Sem ficção.
Por ser diferente que sempre há algum prestando atenção.
 São os expectadores da vida.

Que assistem sua própria encenação.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Do amor conhecido!



Meu sonho é você.
                                Meu sonho é poder vê-la feliz ao meu lado...
                 ...e que sempre serei seu amado.
          Sei que pode ser loucura,
                Mas não consigo definir tanto amor.
           Tanto amor por ti.
                                  Amor que me faz viajar em alto mar.
Sem me perder nas ondas tumultuosas.
                              Sem uma bússola orientando,
Pois me encontro nas ondas de amor
                                           Sou um que sonho...
                Sonhos de criança grande.
                                    Criança com um primeiro amor!
        Que se entrega nos beijos a abraços inocente.
                               Sou um e o único que te ama intensamente!
                                                       Há todo instante.  Há todo segundo.

Um paradoxo



Perdido nas entranhas do coração
Sou quem nada compreende.
Não por ser somente um;
Não por ter apenas um;
Mas porque...
Eu sou.
Confuso no intimo do coração.
Um sim. Outro não
Apenas escolhas feitas com emoção.
Sem aquele ser ouvir...
No âmago da alma.
Vejo um ser incompreendido;
Ser que parece comigo.
Não por ser eu assim
Sim por não ser...
Eu.
Apenas uma incompreensão.

sábado, 30 de abril de 2011

Compre já! ÍNTIMA PERCEPÇÃO

    Acesse o link abaixo e compre o livro de Crônicas " ÍNTIMA  PERCEPÇÃO",  do Jornalista e escritor Celso Freitas Oliveira.




Qualquer dúvida entre em contato!

Faça da  leitura uma rotina diária!

                                                                                                             Celso Freitas Oliveira 

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

EM BREVE: ÍNTIMA PERCEPÇÃO

Amigos leitores!
Em  breve estará disponível para Compra  na internet o Livro de Crônicas " ÍNTIMA PERCEPÇÃO".

Mais informações entre em contato por e-mail!

Obrigado.

Celso Oliveira


segunda-feira, 22 de novembro de 2010

FRUTO DO SISTEMA

Nunca gostei de entrar num hospital, sequer ser atendidos por médicos da rede pública. Não por eles serem ruins, mas por não se importarem com as pessoas que procuram atendimento. Um fruto que veio deste sistema.

Porém, naquele dia amanheci com a coluna toda dolorida, para não dizer que eu estava morrendo de dor.

Ó céus como doía!

Se deitado ficava, doía; se em pé, a coisa ficava crítica.

Dava de se pensar que eu tinha uma espada em minha medula. Era fim de mês, eu só tinha em meu bolso um vale transporte, então teria que ir a pé e voltar de “bus”. Era cerca de 40 minutos a pé de minha casa até o P.S. Sem ter para onde correr entrei nessa e fui andando, parecia mais um jabuti, a diferença é que faltava o casco duro e forte, pois o meu estava naquele momento muito frágil.

Foi um sacrifício até chegar lá. Se fosse possível eu me denunciaria por crime de tortura, sendo eu o agente e paciente.

Então o processo de minha cura começou assim:

Desde a entrada avistei a longa fila - ó céus que fila- com isso não me assustei muito, já que tudo que precisamos fazer necessitamos formar uma fila – sim, fruto deste sistema.

Clamei ao atendente para que tivesse piedade de mim, mas em nada despertou misericórdia nele - ó que homem duro de coração - Eu só poderia entrar logo se fosse caso de emergência, mas o meu caso era emergência. Contudo o conceito dele era muito diferente do meu. Neste sistema emergência é o seguinte:

Uma fratura exposta; alguém esfaqueado; um tiro na cabeça; uma vítima quase fatal do trânsito etc.

Minha coluna seria algo insignificante – um conceito elaborado pelo sistema.

Sem poder fazer nada, fico na fila de espera em pé. Não teria como eu exigir que alguém cedesse um banco para que eu sentasse, já que quem está em um hospital significa possibilidade de morte.

E a dor continuava e aumentava cada vez mais.

Por incrível que pareça depois de duas longas horas de espera eu sou chamado para ser consultado- ó céus! Graças a Deus.

Chegando ao ambulatório o médico pega minha ficha, sem nem olhar para mim perguntou:

- O que você tem?

Quando eu disse que minha coluna estava doendo, ele já me interrompeu sem deixar um falar mais nada e com a cabeça abaixada escreveu numa receita:

Tomar cataflan (acho que é assim) de 8 em 8 h. E já disse:

- O próximo

Ó céus que sistema é esse?

Não acreditei naquilo. Aguardei tanto tempo para ser atendido dessa forma. Por isso que a saúde é garantida na constituição. Fica fácil fazer assim.

Voltei para casa com dor, com uma receita, mas sem dinheiro para comprar o remédio.

Ó que médico! Contudo eu não o culpo. O causador de tudo isso é o sistema, que não ampara ninguém que tem os direitos garantidos. Como por exemplo:

Eu e você.


Por Celso f. Oliveira

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

SOLIDÃO...

Sabemos que cada dia que se vive é uma conquista.
Toda conquista desperta um sabor de satisfação.
Tudo fica admirável. Perfeito quando vencemos.
Um sabor indescritível.
Certamente todos nós já degustamos esse delicioso sentimento.
Mas para alguns vencer o dia vivo é mais que uma vitória, é um milagre. 
Desigualdades sem fim.
Não estou falando de uma doença social;
Estou falando de uma doença interna; pessoal; inimiga da compaixão e parente do egoísmo.
Não é preciso ler e compreender tudo ao seu redor,
 Mas tente  para não deixar a vida passar sem verdadeiras vitórias.

Por Celso F. Oliveira